É inegável a grande importância que as mídias sociais possuem atualmente para profissionais, empreendedores, marcas, políticos (ainda mais este ano) e para as prefeituras. A Prefeitura de Curitiba destacou-se na forma inovadora e, no ano passado, organizamos um workshop com Marcel Bely (leia sobre os melhores momentos), um dos responsáveis pelo início desta forma de gerenciar. Outra que se destaca é a Prefeitura de Salvador.

Infelizmente, muitos acreditam que não é necessário fazer cursos, palestras e workshops sobre gerenciamento, produção de conteúdo, monitoramento e outras disciplinas sobre Marketing Digital e mídias sociais. Ontem, a Prefeitura de Santo Amaro tornou-se um ótimo exemplo do que não fazer para gerenciar uma crise graças à peça abaixo.

Santo Amaro Facebook

Os erros e equívocos são capazes de deixar até mesmo quem não trabalha neste mercado de queixo caído. Prepare-se para a lista:

Uso de fotos sem relação com a cidade

Por falta de verba ou outros motivos, algumas páginas recorrem a banco de imagens gringos para ilustrar seus cards. O resultado está aí, uma peça que não representa de forma alguma quem mora na cidade tanto física quanto culturalmente. Como a pessoa não parou para pensar que colocar uma balada do exterior como divulgação da festa de Santo Amaro. Uma simples busca no Google mostra como a realidade é totalmente oposta ao material.

Lavagem

Resposta inadequada diante da crise instalada

Quem está na área ou fica sabendo de alguma crise envolvendo uma marca nas mídias sociais, é natural que a página publique um post justificando ou pedindo desculpa pelo erro. Mas quais foram as medidas que a página tomou para se defender? Responder a uma das pessoas desse jeito.

Resposta Santo Amaro

Ou seja: além de manter o post no ar sem qualquer alteração, a resposta justifica a “linda mistura” que a cidade possui e que não está representada na peça de divulgação da tradicional festa da cidade. O único lugar que as baianas são lembradas é na marca, que deixa a escolha ainda pior.

 

Atitude que gera vergonha alheia e mais comentários negativos

Medidas para gerenciar crise existem para diminuir o incêndio, mas a página conseguiu a façanha de aumentar ainda mais o que já estava ruim. Qual foi a ideia que tiveram para “esconder” o post? Compartilhar muitas publicações que eles lançaram no passado com pessoas negras e com a mesma mensagem. Além de ficarem fora do contexto, as imagens foram compartilhadas várias vezes seguidas, chegando ao cúmulo de dois deles serem publicados no espaço de um minuto.

Resultado: mais chances de receberem comentários negativos e mostrar que são adeptos no uso do banco de imagens, ignorando as características da cidade ao colocar fotos genéricas que não mostram a cidade.

Fingir que o problema não existe nunca foi remédio para ele desaparecer na vida real. Imagine em um ambiente onde o erro está registrado.